Do GG ao pp

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

O branco da paz é sempre uma boa cor para começar o ano


Não tem jeito. Queira ou não, o branco é sempre a cor favorita das festas de Réveillon. Tem gente que acha bobo e sem imaginação, tem gente que diz que é superstição. Na minha opinião, acho bonito ver todo mundo de branco nesta festa que marca o início de um novo ciclo da vida.

Fotos: Inspire-se nas passarelas para montar seu look de Ano Novo
Guia de Compras: Veja sugestões de peças femininas para a festa
Guia de Compras: Veja sugestões de peças masculinas para a festa

Alexandre Schneider/UOL

Alexandre Schneider/UOL

Uma boa saída é unir o branco ao dourado neste Réveillon, como nos vestidos de Gloria Coelho



Onde tudo começou

A inspiração veio das festas de umbanda e candomblé das praias brasileiras, quando se comemora a chegada de mais um ano e o reinado de um novo Orixá com rituais, oferendas à Iemanjá e velas acesas na praia. A beleza das festividades contaminou nosso povo e os rituais foram se espalhando por entre turistas e curiosos que gostavam de observar de longe a beleza daquelas manifestações religiosas. Pouco a pouco, as pessoas foram imitando algumas práticas e as incorporando às suas comemorações pagãs, como rituais para conquistar a boa sorte.

Entre eles, as flores para Iemanjá, o hábito de pular as sete ondas e o uso das roupas brancas, já que o branco é a cor de Oxalá, maior de todos os orixás, identificado como Jesus no sincretismo das nossas religiões. Além disso, o branco é a cor da paz, o que é sempre desejável numa mudança de ciclos. A grande festa de Copacabana e o charme dos cariocas foi, sem dúvida, determinante na divulgação deste costume, que tomou conta de todo o litoral brasileiro e invadiu também as cidades. Hoje, mesmo sem saber direito o porquê, a gente se sente bem vestindo o branco, a cor da paz e da pureza, nas festas de Réveillon.

Festa na praia

É uma delícia participar das comemorações de mudança de ano na praia. A vibração que vem da religiosidade brasileira, a energia da natureza e a comunhão das pessoas que, juntas, estão ali todas de branco para festejar um novo ano, é contagiante. Seja numa cidade grande ou numa praia, não é apenas o branco que é fundamental, algumas regrinhas também se fazem necessárias, vamos a elas.

A roupa deve ser leve e confortável. Para as mulheres, vestidos e saias longas, túnicas ou vestidos curtos e soltinhos, de tecidos naturais, são as peças mais desejáveis, lembrando que as coladas e sintéticas estão totalmente por fora. Fica bacana apostar em shorts ou bermudas soltas e leves com blusinhas românticas. Mas evite o short masculinizado e as camisetas muito básicas. Se enfeite, porém evite bijuterias. Para não perder jóias no mar, prefira os lenços e echarpes esvoaçantes. Evite sapatos pesados, como as sandálias de plataforma, para não pisar no pé de alguém, e opte pelos "flats" (as rasteirinhas da hora, as sandálias de dedos, baixinhas e "thongs").

Para os homens, as bermudas ou calças mais soltas como as de pijama, amarradas na cintura, podem ficar boas. Camisetas ou camisas de mangas curtas também são opções interessantes. Os calçados masculinos podem ser sandálias, para as festas mais tranqüilas e as calças de pijama ou tênis para as festas mais radicais, nas praias cheias.

Não esqueça um casaquinho!

Não importa o calor, normalmente a festa dura a madrugada toda. Então, uma hora ou outra, o tempo vai esfriar. Não custa nada levar um casaquinho, como diria a Tia Carlice. Para a festa da praia, vale um xale leve, como uma canga ou um cardigã de tricô. Para os homens, uma camisa sobre a camiseta é uma boa. Pode ser de manga curta ou longa, que pode ser dobrada.

Eu quero uma festa no campo

Se você for comemorar o Ano Novo em um sítio ou chácara, a roupa pode ser quase tão informal quanto a da praia, mas deve ser um pouco mais pesada. Ainda valem os vestidos, que considero a peça de roupa ideal para a comemoração - vestido é a cara de festa -, mas o campo pede tecidos mais rudes. É uma oportunidade boa para usar os macaquinhos ou macacões que estão tão na moda. Uma boa idéia também é aproveitar a ocasião para usar uma calça saruel, aquelas de cavalo mais baixo. Regatas de seda ou blusinhas de malha boa com um brilho suave podem ser opções interessantes para a parte de cima. Os sapatos amarrados, como as sandálias baixas em estilo gladiador e as "thong" também funcionam, fechando o visual da estação. Para se aquecer, valem os coletes, as jaquetas e os xales.

Para os homens, calças e bermudas são ótimas, em tecidos pesados como sarja. Nos pés, ficam legais os tênis, que são as melhores escolhas. Se a festa for um pouco mais formal, valem os paletós leves, que ficam chiques em branco ou cores bem clarinhas, como o gelo, o marfim e o areia, que nesta hora passam por branco.

Festa descontraída na cidade

Este tipo de festa é bem tranqüila, mas valem algumas dicas. Evite as roupas muito curtas ou muito decotadas, no estilo "vestida para matar", sabe? No Réveillon, normalmente as pessoas abusam um pouco das bebidas, então você evita alguns inconvenientes. Prefira os vestidos românticos, soltos e com babados. Abuse dos modelos de um ombro só e dos tecidos mais refinados, com brilho leve e cintilante. Valem os bem curtos, quando em shorts ou bermudas de tecidos sofisticados, assim como em paletós ou jaquetas, leves e refinados. Nos pés, a preferência é para os sapatos ou sandálias mais compostas e os saltos, que deixam a postura mais montada.

Para os homens, aconselham-se as bermudas mais chiques, camisas leves e camisetas arrumadas. Valem as calças pijama mais sofisticadas e os macacões chiques, com camisas. Evite regatas, chinelos e axilas expostas. Rapazes, componham-se.

Festona chique

Para as festas mais chiques de Réveillon na cidade é preciso um pouco de planejamento e empenho. Para as mulheres, vale o vestido longo ou o mini, com salto alto, jóias ou bijuterias finas, carteira, cabelo e maquiagem incríveis. Arrase!

Para os homens, ficam ótimos smoking ou terno, com sapatos impecáveis. Não invente muito, se não tiver uma roupa incrível toda branca, vá com seu melhor terno.

Nesta coluna, gostaríamos de agradecer aos internautas que vêm nos acompanhando durante todo o ano e responder as dúvidas de Elizete, Abner Andrey Alves Moreira, Ellis, Eliane, Jonatas Gomes, Kamilla, Andrea, Lana, Otavio Almeida, Poalla, Juliana Machado, Vanessa Barbosa C. Vaz, Rosa, Juma Barros, Naiana e Gaby.

Agradeço a colaboração de Emily Anne Stephano Sant' Ana e de Graziella Martins Cavalcanti e a todos que contribuíram com nosso trabalho.


Um feliz Ano Novo a todos!